[RESENHA] Por Lugares Incríveis - Jennifer Niven

Hey, pessoas!

Esse mês tem sido maravilhoso para as minhas leituras, e hoje vim compartilhar com vocês mais um dos queridinhos: Por Lugares Incríveis, de Jennifer Niven, conquistou meu coração! Venham conhecer!


Por Lugares Incríveis

TÍTULO: Por Lugares Incríveis
AUTOR: Jennifer Niven
EDITORA: Seguinte
NÚMERO DE PÁGINAS: 336 páginas
SINOPSE: Dois jovens prestes a escolher a morte despertam um no outro a vontade de viver. Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família. Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.


Violet Markey tinha uma vida perfeita e tranquila, até que um acidente de carro, que vitimou fatalmente sua irmã e do qual apenas ela saiu viva, mudou completamente sua rotina. Theodore Finch sempre foi um garoto estranho, chamado de aberração por seus colegas de escola. Em casa, as coisas para Finch só pioram: ele tem períodos de depressão prolongados, que o desligam do mundo, o pai é violento e largou a família por outra mulher, e suas irmãs e mãe são apáticas e alheias a toda situação do menino. A vida desses dois adolescentes não tinha porquê se cruzar, mas isso tudo muda no alto da torre da escola, numa tentativa fracassada de suicídio, de ambos os garotos. Depois de ajudarem-se a sair de lá, eles são colocados juntos em um trabalho de geografia: deveriam procurar, visitar os lugares interessantes da Indiana, e documentar tudo. Depois de algum receio, Theo e Violet decidem seguir com o projeto, e é então que eles descobrem muito mais coisas em comum do que esperavam. E mais: descobrem um no outro a força que precisam para enfrentar o que der e vier.

Esse livro chegou às minhas mãos através de uma promoção do blog Histórias Sem Fim, e eu estava com muita vontade de conhecê-lo depois de todas as resenhas apaixonadas que li. E eu preciso dizer que elas estavam completamente corretas!

Violet e Theo foram um dos casais protagonistas que eu mais gostei. Ele é engraçado, persistente, leva tudo na ironia, é inteligente e muito dedicado à tudo que gosta. Ela é uma garota linda, que uma tragédia acabou ofuscando. Ao encontrarem-se, Violet mais uma vez encontra a si mesma, e foi tão bonito acompanhar o desenvolvimento do sentimento entre os dois durante a narrativa. Era óbvio para mim desde o início que eles iam acabar se entregando um ao outro, mas eu confesso que não esperava a maneira sensível com que a autora conduziu a relação dos dois. Foi delicado, puro e a forma mais bonita que ela podia ter escolhido. Melhor do que as minhas expectativas e na medida exata do que eu imaginava.

A narrativa é intercalada entre Violet e Theo, o que eu particularmente adoro, porque possibilita ao leitor conhecer o ponto de vista, os pensamentos e sentimentos de ambos os protagonistas. A escrita da autora é bastante simples, mas é tão poética ao mesmo tempo. Em algumas passagens, eu me peguei definitivamente suspirando, por todas as palavras lindas que ela conseguia fazer com que se encaixassem tão bem na história. Além disso, a autora colocou em sua narrativa muitas referências a nomes clássicos da literatura, como Virginia Woolf e Cesare Pavese. Sempre fico muito feliz quando esses autores são valorizados, afinal, eles são o que existe de mais admirável no âmbito literário, e é muito bom vê-los reconhecidamente inseridos em enredos modernos, combinando perfeitamente com a história.

Os personagens secundários do livro são extremamente bem construídos, e me causaram sentimentos um tanto contraditórios. Amei alguns demais, e odiei outros com todas as forças. Isso é um ponto positivo, visto que os autores sempre escrevem visando despertar alguma reação no leitor, seja ela negativa ou não. Todos eles tem sua função determinada no desfecho da narrativa, e vocês já sabem o quanto eu admiro escritores que conseguem dar importância a todo o seu elenco de personagens. No meu ponto de vista, não existe motivo para inseri-los na história se eles não fizerem diferença no desenvolvimento da trama, e isso é o oposto do que acontece aqui. Ao longo da narração, Jennifer vai nos presenteando com o fechamento dos fatos e das pontas soltas, e os personagens são indispensáveis a esse decorrer.

Uma das coisas mais positivas no livro, a meu ver, foi o tema central escolhido pela Jennifer para ser seu foco de atenção, que não foi deixado de lado em nenhum momento: o suicídio adolescente. Além da total importância e relevância do assunto, o livro serve como uma forma de alerta aos pais ou responsáveis, para que eles atentem aos comportamentos estranhos ou deslocados dos filhos, para que saibam reconhecer os sentimentos ruins e as situações mal resolvidas que podem causar problemas. Essa função da literatura é fundamental pra mim, a de servir como porta de entrada para o acesso às informações dos mais variados temas atuais, e Jennifer fez isso de uma forma extremamente magistral. Ao fim do livro temos uma carta da autora, que nos deixa explícito que ela já teve experiências com mortes precoces devido ao suicídio, o que só torna ainda mais verídico seu enredo e os elementos agravantes nele. Achei muito bonito da parte dela ter a consciência de assumir a responsabilidade, de compartilhar essa vivência, visto que sua opinião tem o poder de influenciar tantos jovens fãs de seu trabalho.

A diagramação da editora Seguinte está perfeita. Temos algumas ilustrações dividindo as partas do livro, e fontes distintas nos títulos dos capítulos. A fonte é mediana, facilitando muito a leitura. A capa é cheia de detalhes, encantadora, fica linda em qualquer estante. E o livro ainda conta com um compilado de informações sobre todos os lugares de Indiana que os protagonistas visitaram em suas andanças. Achei super interessante essa atenção e cuidado, de mostrar ao leitor que aquilo realmente existe em algum lugar.

Ao final do livro eu só tive ainda mais certeza de que lerei qualquer coisa que essa mulher escrever. E recomendo a vocês fazerem o mesmo. As palavras de Jennifer pulam da página, diretamente para o nosso coração. Ela tem o dom de nos emocionar e alertar ao mesmo tempo, e com certeza a visão de mundo de cada um de vocês vai mudar um pouco depois de ler Por Lugares Incríveis. Vocês não vão se arrepender!

Se já conhecem a história ou gostaram da resenha não esqueçam dos meus comentários, vou adorar saber a opinião de vocês, queridos viajantes! Até a próxima postagem!

Beijos 

2 comentários:

  1. Minha querida, que resenha linda é essa?! Sabe que eu também fiquei encantada com a capa, e a sinopse me prendeu de montão. Mas quando eu li as resenhas tive a impressão de que seria bem diferente do que eu andava imaginando e acabei por perder um pouco o interesse. Daí eu leio a tua resenha e me dá vontade de ler o livro agora mesmo!!! Como você faz isso? Não sei! Mas preciso ler esse livro logooo!!! Capítulos intercalados entre os personagens é a melhor coisa do mundo!!! E personagens bem construídos que fazem total sentido e tem função na história é a melhor coisa do universoooo! rsrs. Super amei a tua resenha!Essa foi a melhor resenha que li do livro até agora! Estava com saudades tuas... Bjos enormes! entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anya, querida, eu já disse que amo teus comentários? Pois é, eu amo. Eles sempre me deixam rindo à toa, porque tu é fofa demais, gente. Muito obrigada pelos elogios, eu fico imensamente contente quando as minhas palavras conseguem despertar alguma vontade ou sentimento nas outras pessoas. Eu super recomendo a leitura do livro, acho que todo mundo deveria passar por essas páginas em algum momento da vida, é um livro que tem muito o que nos ensinar. Beijos mil, sua linda!

      Excluir