[ENTREVISTA] Mari Scotti

Hey, pessoas!

Hoje eu trago para vocês uma novidade bem legal. A partir de agora, no blog, vocês vão poder acompanhar a carreira e conhecer um pouquinho mais dos nossos autores parceiros, através de entrevistas gentilmente respondidas por eles.

Para começar com o pé direito, nada melhor do que apresentar a vocês a linda Mari Scotti, autora da série Neblina e Escuridão, cujo primeiro livro, Híbrida, já foi resenhado aqui no blog (confira). Aproveitem as respostas maravilhosas da Mari, e entrem junto com ela no universo de Ellene de Moraes!

1. Como se iniciou sua relação com a literatura?

Muito nova, com a ajuda de uma professora de língua portuguesa na quinta série. Ela foi a primeira que me apresentou livros diferentes dos clássicos obrigatórios e me apaixonei pela leitura.

2. Em que momento decidiu tornar-se escritora?

Na mesma época que eu comecei a ler mais, minha mãe me mostrou um livro que ela estava escrevendo e eu fiquei louca com a ideia de ser escritora também. Até tentei, mas era péssima nisso! Voltei a escrever depois que li a Saga Crepúsculo. Foi difícil me desapegar dos personagens e comecei a escrever fanfics. O retorno dos leitores destas fanfics me fez perceber que deveria retomar esse sonho. E sou muito agradecida a eles.

3. De onde surgiu a ideia para escrever a série Neblina e Escuridão?

De Amanhecer. Eu amo a saga, mas odeio o final. Pra mim a Reneesme não deveria existir e não deveria ter ficado com o Jacob. Eu queria o Jake com a Leah rs. Depois de ler o livro da primeira vez, fiquei me perguntando como seria o futuro de uma vampira que fosse criada por lobisomens sem saber a sua verdadeira raça. Daí pensei nos motivos desta vampira estar entre lobisomens. As conspirações foram se tornando concretas e quando vi, estava escrevendo o primeiro livro da série.

Se notar, eu agradeço à Stephenie Meyer no livro, por me ajudar a voltar a escrever, mesmo sem saber. Em Guardião também agradeço a ela, mesmo que nunca leia ou saiba que me inspirou.

4. Qual a qualidade mais importante, que você sempre preza na hora de escrever?

Os sentimentos e reações dos personagens. Eu quero que o leitor sinta o mesmo que o personagem. Que fique com os olhos carregados de lágrimas em um momento triste ou que ria sozinho dentro de um ônibus ao ler um momento engraçado. O sentimento leva o leitor a se envolver com o personagem e a se envolver com a história e consequentemente se apegar ao enredo, ao livro.

5. O que o público pode esperar da série?

Em Guardião teremos as respostas que mais me pedem para informar: se o Milosh é o pai da Ellene e se a rainha está viva. Para a série, teremos ainda muitas reviravoltas, um traidor será revelado e conspirações contra o Reino dos vampiros também.

O clã dos lobisomens sofrerá algumas alterações, conflitos que não estavam preparados para enfrentar e novos membros que precisarão aprender a aceitar.

Muitas e muitas reviravoltas e casais inesperados. Estou ansiosa para que todos leiam a série completa! Uma pena que não sairá tudo este ano.

6. Qual foi a parte mais difícil pela qual você precisou passar para seguir seu sonho de escrever?

A mais difícil? A espera eu acho. Não é tão fácil assim ser escritor no Brasil. E depender de editoras é um sonho, mas também bastante complicado. Gastamos mais do que temos. Investimos o que não temos. Sonhamos com leitores que vão ler, amar e espalhar a história, e no entanto, mesmo investindo em brindes, em divulgação com blogs e etc, este BUM não acontece. Existem momentos que dá vontade de jogar tudo pro alto, postar tudo em um blog e deixar que leiam... Desistir de correr atrás de editoras que farão nosso nome como escritor ser mais reconhecido. Mas... sempre tem uma mas rs. O sonho não morre. Então, depois de um dia de autocomiseração, erguemos a cabeça e seguimos em frente. Com dividas, dúvidas, incertezas, e com ainda mais paixão. Porque amamos isso. Eu amo isso. Escrever e saber que alguém será tocado por minhas histórias.

7. Existe algum autor ou autora que te inspira? Conte por quê:

Stephenie Meyer porque foi quem me trouxe de volta à escrita. Ela me fez perceber que escrever focando no sentimento, reações e personalidade dos personagens era como eu gostaria de escrever.

A Denise Flaibam porque eu amo Os Mistérios de Warthia e tudo o que ela escreve. A garota tem só vinte anos de idade e uma escrita invejável! Eu me inspiro nela, em como quero escrever um dia, com tantos detalhes, tanto amor e tanta verdade. Ela consegue ser melhor que muitos estrangeiros que eu conheço e até nacionais que já são reconhecidos.

A Keila Gon por sua simplicidade e carisma com seus amigos e leitores. Ela é um exemplo de escritor pra mim. Amo seus livros, e principalmente sua personalidade.

8. Deixe uma mensagem aos leitores:

Obrigada por lerem essa entrevista e acompanharem o blog e também a minha carreira. Espero um dia conhecer todos vocês e poder dar muitos abraços. Se desejam algo em suas vidas, se possuem um sonho, não desistam, por mais que pareça complicado e impossível. Para Deus, nada é impossível e se você tiver fé, com certeza alcançará o que deseja. Obrigada Patrini pela entrevista, adorei falar um pouquinho sobre mim e a série. Sucesso ao blog. Beijão, Mari Scotti.

Mari, querida, obrigada mais uma vez por se mostrar tão incrível e atenciosa. Minha admiração por ti só cresce a cada dia, como pessoa e escritora! Um beijão, e eu aguardo ansiosa e intensamente por Guardião rs 

E aí, galera? Gostaram da entrevista? Já conheciam o livro da Mari? Me contem tudo nos comentários. Até a próxima postagem!

Beijos 

2 comentários:

  1. Amei a entrevista Patrini e adoro você e seu blog. Obrigada pelo carinho e a oportunidade. Sucesso!
    Mari Scotti

    ResponderExcluir
  2. Ui... corei aqui hihihi BEIJO Linda. Você sabe que seus conselhos e sua opinião é muito importante para mim... foi uma honra ter seu comentário na capa de Sombras. BEIJOOOOOOOOOOO

    ResponderExcluir