[RESENHA] Enfeitiçadas - Jessica Spotswood

Hey, pessoas!

Sei que ando meio sumida daqui, mas agora que minhas férias começaram prometo melhorar a frequência das postagens. Pra começar, vamos de resenha? O livro de hoje foi um presente do meu gordo (obrigada, amor!) e eu esperava por ele já há algum tempo. Por isso me joguei na leitura logo que ele chegou até mim, e não me arrependi. Querem saber minhas impressões sobre Enfeitiçadas, de Jessica Spotswood? É só continuar lendo o post, vou contar tudo!


TÍTULO: Enfeitiçadas
AUTOR: Jessica Spotswood
EDITORA: Arqueiro
NÚMERO DE PÁGINAS: 272 páginas
SINOPSE: Antes do alvorecer do século XX, um trio de irmãs chegará a idade adulta, todas bruxas. Uma delas terá o dom da magia mental e será a bruxa mais poderosa a nascer em muitos séculos: ela terá poder suficiente para mudar o rumo da história, para suscitar o ressurgimento do poder das bruxas ou um segundo Terror. Quando Cate descobre esta profecia no diário de sua mãe, morta há poucos anos, entende que precisa repensar seus planos. Qual será a melhor opção: servir a Irmandade, longe dos olhos vigilantes dos Irmãos Caçadores de Bruxas, aceitar uma proposta de casamento que lhe garanta proteção e segurança ou abandonar tudo e viver um grande amor proibido? Prepare-se para se encantar com os jovens pretendentes de Cate, abominar o ódio e a repulsa que os Irmãos dedicam a meninas e mulheres, e aguardar ansiosamente pela sequência de As Crônicas das Irmãs Bruxas.


Compre o livro aqui: Submarino - Americanas


Enfeitiçadas é o primeiro livro de uma série, intitulada As Crônicas das Irmãs Bruxas, e foi escrito por Jessica Spotswood. Como eu amo qualquer coisa relacionada a magia, e esse é o tema principal do livro, não poderia ser diferente: logo que o conheci, fiquei com muita vontade de lê-lo. Infelizmente, apenas muito recentemente tive a oportunidade de tê-lo em mãos, e com isso não pensei duas vezes antes de me jogar na leitura, com as expectativas lá em cima. E o livro não me decepcionou.

Cate Cahill é uma jovem deslocada dentro da sociedade em que vive com suas duas irmãs, Tessa e Maura. As garotas convivem diariamente com o medo de que seus dons para a magia, herdados da mãe, sejam descobertos pela Irmandade, um grupo de conservadores que julga e condena bruxas, mesmo sem provas. Magia, naquele tempo, é considerada um perigo, e punida com a morte, se possível. Logo que perdeu a mãe, Cate tomou para si o papel de responsável pelas irmãs, e deixou sua vida de lado para protegê-las. Porém, de uma hora para outra, com a época da decisão mais importante de sua vida chegando, ela vê revelado um segredo que pode mudar para sempre suas vidas, e fica dividida entre seguir seu coração, ou largar suas vontades e sonhos para traçar um caminho seguro, para ela e sua família.


Enfeitiçadas é aquele tipo de livro que tu se pega lendo e se apaixonando a cada linha. A história é muito bem construída, apesar de o tema já estar bastante batido. A autora introduziu vários detalhes inovadores no decorrer da narrativa, o que a tornou diferente e, ao mesmo tempo, ainda mais cativante, pois, quanto mais elementos ela contivesse, mais o leitor se veria envolvido com a trama. Conforme o enredo evolui, diversas emoções opostas surge em nossa mente: tu torce por alguns personagens, quer enfiar a mão na cara de outros, e procura entender as razões que levam a cada atitude. Para mim, as melhores histórias são assim: te fazem repensar teus conceitos sobre cada um dentro do livro.

Enfeitiçadas é uma obra cheia de personagens marcantes, com os quais é praticamente impossível não se identifica nem um pouco. Cate é uma garota frágil e insegura, que se mostra forte e decidida em frente às outras pessoas. Responsável, ela protege suas irmãs acima de tudo, assumindo um papel maior do que ela poderia esperar ou carregar. Maura é imtempestiva e rebela-se facilmente, sempre que suas vontades são desrespeitadas. Apesar de parecer uma criança mimada em muitos momentos, a garota é divertida, com sua acidez irônica que não perdoa ninguém. Além disso, é destemida e sente orgulho de seus dons, sem receio de usá-los, por mais perigoso que seja. Tess é a irma mais nova, e, ao contrário do que possamos imaginar, ela é mais madura do que qualquer outro personagem. Observadora e sensitiva, ela sabe dizer o que as pessoas pensam ou sentem só com um olhar, e tem grande interesse pelos livros de seu pai.


O pai das três irmãs é um estudioso muito respeitado na cidade onde vive, dedicado a seus livros, esquecendo muitas vezes de seu ofício paterno, principalmente depois da morte de sua esposa, fato que o deixou ainda mais recluso e fechado em si mesmo. Paul é o melhor amigo de Cate, desde a infância, e a garota nutre um carinho muito grande por ele. Os dois se separaram depois de crescidos, mas reencontraram-se e agora ele está disposto a tomá-la como sua mulher. Confesso que Paul não me agradou nem um pouco. Ele é dominador e possessiva, além de ser convencido e se achar superior aos outros em vários momentos no decorrer da trama. Não é possível saber se ele era assim quando criança, mas eu imagino que a cidade grande tenha subido à sua cabeça. Finn, em compensação, é um garoto que, apesar de conviver com Cate desde pequeno, ela só passou a notar quando ele iniciou seu trabalho de jardineiro em sua casa. Filho dos livreiros da cidade, o menino é intelectual, inteligente, e, de acordo com as divagações de Cate, muito bonito também. O que mais me encanta em Finn é mesmo a sua percepção dos sentimentos e necessidades de outras pessoas. O garoto desvenda os personagens com muita facilidade, e está sempre disposto a ajudar. Admiro isso na vida cotidiana, então no mundo literário não seria diferente. Além disso, ele tem uma timidez fascinante e um modo de ser muito peculiar e atrativo. Os Irmãos (como são chamados os componentes da Irmandade) são homens carrancudos e conservadores, sempre atrás de erros de qualquer natureza, procurando por algo que eles possam usar contra determinada pessoa e investigando a vida de quem os interessar. São perversos, e usam a religião como justificativa para as atrocidades que cometem,  o que eu acho de uma crueldade sem tamanho. 

Existem ainda outros personagens muito importantes na trama, que vão sendo inseridos com o andamento do livro, como Elena, a governanta enxerida, ou até mesmo Sachi, filha do irmão mais importante da Irmandade, mas seus papéis são basicamente spoillers, então estou tentando evitar falar muito sobre elas. O que eu posso dizer é que, assim como todos os outros personagens e fatos que acontecem na narrativa, nada é em vão, e tudo isso contribui para o amarramento final da trama. Esse foi o fato que mais me agradou no livro: não há detalhes desnecessários.

Falar da trama desse livro pra mim é um ponto difícil, porque foi uma das que mais me atraiu nas últimas leituras. O ponto central da narrativa são as três irmãs e seus dons para a bruxaria, o que, é claro, já foi bastante explorado em outras obras. Porém, como eu já citei, há vários focos diferenciados no livro de Spotswood, como, por exemplo, os mistérios que envolvem a madrinha de Cate e todas as garotas que somem, acusadas de bruxaria. As Irmãs são outro fator bem interessante  na narrativa, pois a verdadeira história por trás de sua congregação nos surpreende e eleva o enredo a outro nível. A autora soube deixar pontos em aberto para os próximos livros da série, o que eu considero um elemento essencial, afinal, isso é um fator decisivo na hora de decidirmos continuar ou não acompanhando a história.


Quanto à diagramação, a editora mais uma vez fez um ótimo trabalho. A capa é linda, completamente atraente e comercial. O título do livro é em dourado, o que o destaca dos outros componentes. As páginas são amareladas, com letras que facilitam a leitura. Na abertura de cada capítulo há uma espécie de moldura, que eu, particularmente, adorei, é um detalhe que diferencia o livro de todos os outros. Como de costume, a revisão está impecável e eu realmente não encontrei nenhum erro. Isso é um incentivo a mais para o leitor e para a comercialização do livro, a meu ver.

Eu, com certeza, recomendo a leitura. A história é cativante, os personagens são fáceis de amar, e o enredo é muito bem elaborado, o que só nos prende ainda mais à narrativa da autora. Como já comentei, minhas expectativas com relação ao livro eram muito altas, e foram completamente atendidas. O livro ganhou as cinco estrelas com todo o mérito, e eu não vejo a hora de continuar acompanhando a saga de Cate Cahill em busca do seu verdadeiro destino.

Não esqueçam de me contar nos comentários suas impressões sobre a leitura, caso já conheçam o livro, e o que acharam da resenha. Estou aguardando suas opiniões. Até a próxima postagem!

Beijos 

2 comentários:

  1. Oi lindaaaa! Eu adorei tua resenha! Estava meio receosa em ler esse livro exatamente pelo que você falou. O tema já é bem batido! Mas eu sempre tive curiosidade. Essa capa é tããããão linda! E a sinopse consegue deixar a gente intrigado! Mas foi a tua resenha que me fez decidir que eu literalmente preciso ler esse livro!!! rsrs. Ano que vem, minha primeira tarefa é começar logo a desatolar minha lista de leituras! hahaha.
    Bjokas...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anya, querida. O tema do livro é realmente bastante conhecido já, ainda mais nesse universo literário, mas eu posso te garantir que a autora soube inovar e colocou vários detalhes extras na histórias, o que deixou ela diferente das que a gente já leu por aí. Além disso, só pela fofura de alguns personagens já vale a pena dar um chance a leitura hahahaha Beijos, linda!

      Excluir