[RE-RESENHA] A Escolhida - Amanda Ághata Costa

Hey, pessoas!

No projeto Clube Entre Leituras, tive a oportunidade de reler mais uma vez o livro A Escolhida, da nossa amada autora parceira Amanda Ághata Costa, e agora vocês conferem minhas impressões renovadas sobre essa fantasia incrível! A primeira resenha se encontra neste link, confiram!

A Escolhida

TÍTULO: A Escolhida (Trilogia A Escolhida #1)
AUTOR: Amanda Ághata Costa
EDITORA: Independente
NÚMERO DE PÁGINAS: 360 páginas
SINOPSE: Em uma cidade repleta de pessoas desconhecidas, Ari poderia ser apenas mais uma garota dispersa na multidão, como tantas outras que foram abandonadas pelos pais desde a infância. Devido à sua aparente doçura e beleza, ninguém seria capaz de supor que, além de um anjo, ela também é um demônio com sede de poder. Os espertos deveriam manter-se distantes, mas há olhares que não deixam de admirá-la. Egran não desperdiçaria a chance de apoderar-se de habilidades tão interessantes: ela é a escolha perfeita. Entretanto, nem todos se sentem realizados. O círculo seria um refúgio ideal para os demais feiticeiros, se o próprio líder não os tratasse como marionetes descartáveis. Movidos pelo medo e controlados pelo mestre, os componentes do grupo obedecem, sem pestanejar, às ordens recebidas. Ao se ver arrastada para lá, Ari se encontra diante de situações improváveis, arriscando-se a expor mais do que gostaria. Para ela, sentir é algo que sempre esteve fora de seus limites. Não poderia vivenciar qualquer forma de emoção, esta era a promessa. Até que Luke surge em seu caminho e abala as estruturas congeladas, derretendo-as e modelando novos conceitos. O amor realmente fará brotar a alegria? Ou irá arrastá-la diretamente para a morte? O passado obscuro de Ari será o suficiente para fazê-la estilhaçar de uma vez por todas, não restando oportunidades para uma nova tentativa de se isolar do mundo.


      

Confesso que essa é uma das resenhas mais difíceis que já escrevi, e nessa segunda edição dela não foi diferente. Todos os meus sentimentos mais uma vez se misturaram, e as emoções novamente afloraram por conta da leitura. E eu só tenho uma coisa a dizer: meu amor só aumentou!

Ari é uma jovem diferente de todas as outras: ela possui uma maldição sobre si. Sua sede de sangue e poder é incontrolável, tornando-a uma assassina cruel e invencível. Muitas vidas já foram tiradas por suas mãos, e nada é incapaz de impedi-la de saciar sua vontade. Mas Ari abomina-se por isso. Numa de suas caçadas, uma surpresa a espera: dois desconhecidos, completamente estranhos para a garota, a convocam, sem chances para uma resposta negativa, a comparecer ao Círculo, um território onde vários feiticeiros reunem-se. É lá, no lugar mais improvável, que Ari irá descobrir que seu lado humano ainda existe, e seus sentimentos são capazes de coisas inimagináveis. 


Eu não consigo falar de A Escolhida deixando de lado todo o universo que a Amandinha criou. Já comentei sobre isso na resenha anterior, mas digo e reforço mais uma vez: tudo é incrível dentro do livro! O cenário é descrito em detalhes tão fieis e verídicos que é como se estivéssemos lá, vivendo tudo com os personagens; a sociedade de feiticeiro construída é sólida, com sua própria cultura, hábitos, rituais, conflitos e problemas. É completamente impossível não sentir-se tentado a acreditar realmente naquele enredo, naqueles episódios, naquelas paisagens, naquele mundo como um todo!

Os personagens são um show à parte. Amanda arrasou na construção de todos eles. A Ari é uma protagonista inovadora, diferente de todas aquelas que o leitor possa ter conhecido. Dentro de si ela possui uma luta interminável, que só fica mais forte depois que ela chega ao Círculo: ela não quer ser um monstro. De alguma forma, Ari amadurece, cresce e evolui no decorrer da narrativa, e é assim que conseguimos conhecer diversas facetas de uma mesma protagonista, que se mostra interessante ao extremo e extremamente real. Luke é um típico galã: corajoso, destemido, ligado à família, que segue seus princípios acima de tudo. A fé e a confiança que ele direciona a Ari é incrivelmente comovente, e se tornar praticamente palpável o sentimento que ele nutre por ela. Ele é admirável, carinhoso, lindo e nunca deixa de ser compreensivo e atencioso. É inútil tentar não se apaixonar por ele!


O que mais me admira na construção dos personagens da Amanda é que ela não deu atenção apenas aos protagonistas. Todos os personagens coadjuvantes e secundários são muito bem elaborados, perfeitamente trabalhados, e despertam sensações totalmente intensas no leitor. Lina é a mulher que acolheu Ari desde muito nova, quando ela foi abandonada pelos pais verdadeiros. A compaixão, imenso amor e dedicação que a senhora tem para com nossa protagonista preenche o coração de qualquer um com imensa admiração. Ela está sempre zelando pela garota, protegendo-a e incentivando-a a superar seus medos e dúvidas. Ela não desiste da Ari, e ainda agora, lembrando da doçura que envolve a aura dessa senhora simpática meu peito se aperta de tanto amor. Egran é o líder do Círculo, e é detestável, em todos os sentidos. Não sei como é possível, mas o feiticeiro reúne todas as características mais desprezíveis em um ser humano: ele é injusto, inescrupuloso, cruel, mal-caráter, enganador, e todos os defeitos horrendos que você conseguir encaixar aqui. Egran é um chefe extremamente arrogante, que não mede as consequências de seus atos e é capaz de qualquer coisa para conseguir o que quer. Vincy, Lana, Melany e Tyla são as amigas que Ari nunca teve. Juntas, elas formam um grupo bastante distinto, visto que cada uma tem sua personalidade, mas um aspecto as une firmemente: a lealdade e a amizade. É emocionante ver como elas protegem e apoiam uma a outra, e eu confesso que ainda acredito que elas tenham sido uma das grandes diferenças na vida da protagonista, que a fez despertar para o mundo das emoções. Todos esses personagens tem seu lugar a história, e todos eles influenciam de alguma maneira o desfecho da trama. É claro que o foco recai sobre Ari e Luke, mas nenhum dos outros personagens é deixado de lado, em momento nenhum, e eu achei isso incrível!

Os elementos incluídos pela Amandinha na trama também são um ponto extremamente positivo no livro: os feiticeiros, os demônios, fadas e todas as criaturas mágicas que coexistem ali enriquecem o enredo, tornando-o denso e cheio de reviravoltas. Além disso, as reflexões sobre temas tão indispensáveis a própria vida do leitor, como o amor, a amizade, os medos e receios, estão presentes ao longo de todas as páginas. É impressionante a forma poética com que a autora insere esses pensamentos na trama, fazendo-os parecer tão bem combinados com os elementos ao redor. Essa poesia torna o livro emocionante, é impossível sair dele sem ter completamente mudado algum conceito ou definição essencial nos dias e nas decisões de cada um de nós. Amanda criou muito mais do que uma história: A Escolhida é um manual, contendo lições de vida, de convivência, de amor ao próximo, de lealdade, de superação, e, especialmente, de força e coragem para ir além das suas expectativas sobre si mesmo.


Termino essa resenha emocionada, com o peito completamente aberto a novas aventuras da Ari, e não poderia me despedir de vocês sem deixar claro o quanto eu aprendi com essa leitura: Ari me ensinou a ser forte, em qualquer circunstância; Luke me ensinou a nunca deixar de lado meus princípios, e que a família sempre será nossa bem mais precioso; Vincy me ensinou a não desistir dos meus ideais, indo em busca daquilo em que acredito; Lina me ensinou a compaixão e o amor, dois sentimentos que nos tornam melhores do que jamais pensamos ser; e até Egran conseguiu me ensinar a nunca colocar meus desejos acima daqueles que confiam em mim. Amanda, obrigada por me mudar e me tornar melhor através das suas palavras!


A vocês, viajantes, se ainda não leram A Escolhida só tenho um conselho: leiam, chorem, deixem-se levar pela magia da história, e nunca esqueçam o quanto vocês são fortes! Até a próxima postagem!

Beijos!

3 comentários:

  1. Hey Patrini! Sua relação com essa história é realmente especial. E conhecer a Amanda, ler o livro, e ainda iniciar o clube com ele, foram as decisões mais acertadas que tomei. E me fizeram entender porque essa paixão gigante. Só posso concordar porque a Amanda sabe muito bem o que faz. Consigo sentir o carinho dela em cada palavra e passagem do livro. Ela escreve com o coração! E os personagens são realmente únicos! Fico impressionada com a capacidade da autora de nos lançar dentro do livro, e de criar personagens que embora mágicos, sejam tão reais. Sua re- resenha ficou linda! Mil beijos flor!!
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Hey Patrini! Sua relação com essa história é realmente especial. E conhecer a Amanda, ler o livro, e ainda iniciar o clube com ele, foram as decisões mais acertadas que tomei. E me fizeram entender porque essa paixão gigante. Só posso concordar porque a Amanda sabe muito bem o que faz. Consigo sentir o carinho dela em cada palavra e passagem do livro. Ela escreve com o coração! E os personagens são realmente únicos! Fico impressionada com a capacidade da autora de nos lançar dentro do livro, e de criar personagens que embora mágicos, sejam tão reais. Sua re- resenha ficou linda! Mil beijos flor!!
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Patrini, eu fiquei encantada com sua resenha. Só conhecia o livro pela divulgação mesmo, mas nunca parei para ler nada sobre e agora fiquei super instigada. Se tiver a oportunidade de ler com certeza farei ^^

    Beijos Joi Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir