[POST ESPECIAL] Que gênero literário é a sua cara?

Hey, pessoas!

Como vocês devem perceber em suas andanças pela blogosfera, Internet ou através das próprias leituras, os gêneros literários estão se proliferando cada dia mais, desdobrando-se em vários dos mais diversos estilos, para todos os gostos. Com todas essas classificações, muitos (inclusive eu) acabam perdendo-se na hora de identificar a que gênero pertence determinado livro, e por isso, depois que eu vi o post lá no blog Amo Muito Livros e Filmes, decidi que seria interessante trazer um esclarecimento sobre essas divisões para vocês.

Na verdade, existem apenas três gêneros literários reconhecidos realmente: o épico, o lírico e o dramático. Assim, todos os gêneros que conhecemos hoje são subdivisões (ou subclassificações) desse três grupos maiores. Cada subgênero possui características específicas, que os identificam e diferenciam dos outros. Vamos conhecer um pouco dos mais populares? Junto com a descrição de cada livro estão algumas obras que se encaixam nesse subgêneros, para que a classificação fique realmente clara.

1. Romance

Diferente do que muita gente pensa, uma minoria dos romances pode não ser sobre um casal apaixonado e seu final feliz. Na realidade, romance é um gênero textual constituído de um tipo de história longa e complexa, com várias personagens. Ele permite que o leitor se aprofunde na trama e conheça bem cada um dos protagonistas dela. Dentro de um romance podem existir histórias secundárias que ajudam a compor o caráter e a personalidade das personagens ou ajudam no entendimento do que se passa na história. Geralmente os protagonistas são descritos de forma tão minuciosa que no fim do romance nos sentimos íntimos deles. A história dessas personagens principais é recheada com outras histórias que dão conteúdo a obra. A diferença entre romance e novela não é clara, mas costuma-se definir que no romance há um paralelo de várias ações, enquanto na novela há uma concatenação de ações individualizadas.



2. Romance Policial

O Romance Policial é uma categoria literária estruturada em torno da ocorrência de um assassinato, das indagações, pesquisas, inquirições de testemunhas e, finalmente, da descoberta do criminoso. Todo o enfoque do autor recai sobre o mecanismo de desvendamento dos segredos envolvidos no crime, levado a cabo normalmente por um detetive profissionalizado ou de natureza amadora. A ficção policial é povoada por ingredientes como o temor, o inexplicável, a pesquisa dos dados que cercam o crime, a inquietação intelectual diante dos fatos, a perplexidade, a sede de descobrir o criminoso e os motivos que o impulsionam a cometer o ato ilícito, todos convenientemente combinados nas devidas proporções, conforme o estilo de cada escritor e seu contexto. O modelo tradicional se apóia na total verossimilhança, o que leva investigadores como Sherlock Holmes a buscarem a contribuição da própria Ciência em sua obsessiva procura da verdade. A essência da narrativa policial é a busca pela identidade desconhecida, pela totalidade dos índices.


3. Drama

Qualquer narrativa no âmbito literário em que haja conflito ou atrito. É todo texto ficcional de caráter "sério", não cômico, que apresenta um desenvolvimento de fatos e circunstâncias compatíveis com os da vida real. Na vida cotidiana um conjunto de acontecimentos complicados, difíceis ou tumultuosos pode ser um drama, assim como um acontecimento que causa dano, sofrimento, dor.


4. Comédia

De forma geral, "comédia" é o que é engraçado, que faz rir. É um gênero que diverte o espectador a partir de personagens engraçados e dos conflitos que existem entre eles. Uma característica reconhecida da comédia é que ela é uma diversão intensamente pessoal. Para rir de um fato é necessário reconhecer (rever, tornar a conhecer) o fato como parte de um valor humano - os homens comuns - a tal ponto que ele deixa de ser mitológico, ameaçador e passa a ser banal, corriqueiro, usual e pode-se portanto rir dele. As pessoas com frequência não conseguem achar as mesmas coisas engraçadas, mas quando o fazem isso pode ajudar a criar laços poderosos.


5. Terror

O gênero ficcional de terror ou horror existe em qualquer meios de comunicação em que se pretenda provocar a sensação de medo. O gênero esta ligado à ficção fantástica e a ficção cientifica.Em suas diversas manifestações, é natural a existência de uma assustadora atmosfera de estranheza. O terror pode ser tanto sobrenatural, como não-sobrenatural. Comumente a central ameaça por trás de uma obra de ficção de terror pode ser interpretada como uma metáfora para os grandes medos da sociedade.


6. Poesia

Poesia é um gênero literário caracterizado pela composição em versos estruturados de forma harmoniosa. É uma manifestação de beleza e estética retratada pelo poeta em forma de palavras. No sentido figurado, poesia é tudo aquilo que comove, que sensibiliza e desperta sentimentos. É qualquer forma de arte que inspira e encanta, que é sublime e bela. Ao longo dos séculos, a poesia tem sido usada como forma de expressar os mais variados sentimentos, como o amor, amizade, tristeza, saudade.


7. Fantasia

Na literatura fantástica, o universo criado ou os personagens diferem da realidade. Na maioria dos trabalhos, a fuga da realidade é, geralmente, explicada por intervenções de divindades, magia, forças ocultas ou sobrenaturais. Outra característica marcante do gênero fantasia é que o elemento fantástico não necessita de uma explicação científica ou tecnológica, podendo ser justificado por magia ou qualquer outro fenômeno fora da normalidade. Geralmente abordam seres sobrenaturais como vampiros, lobisomens, anjos.


8. Ficção Científica

A Ficção Científica  costuma ser definida como um gênero literário que engloba histórias fictícias, mas que se propõem a fantasiar sobre algo possível, mesmo que não o seja no presente. Entretanto, a ficção científica pode estar presente em histórias que pertencem a outro gênero como romance, terror, ação. Este tipo de ficção lida principalmente com o impacto da ciência - real ou imaginária - sobre a sociedade ou indivíduos. A grande diferença é que ela tenta convencer seu público de que as idéias que apresenta podem não ser possíveis no contexto atual, mas poderiam ser, valendo-se de uma explicação científica ou pelo menos racional. É diferente da Ficção Fantástica onde a preocupação de afirmar a viabilidade real de seus acontecimentos não ocorre, ou ocorre de forma não racional.


8. Distopia

A distopia, contrário da utopia, se caracteriza por um universo imaginário e/ou futurístico que o controle opressivo sobre a sociedade e a ilusão de sua perfeição são mantidos através de um controle corporativo, burocrático, tecnológico, moral ou totalitário. Distopias, apesar de serem um cenário pessimista exagerado, criticam uma tendência atual, norma social ou sistema político. A maioria dos trabalhos de ficção distópica passa-se no futuro, mas isso não é regra. Algumas histórias podem se passar em universos alternativos, mudando fatos que ocorreram no passado. Lembrando ainda que as distopias são, ainda, subdivididas em Totalitárias (refere-se a uma sociedade que é totalmente controlada pelo seu governo, através de ideologias), Cyberpunk (versão exagerada de nossa própria sociedade, seu conceito é a cibernética), Off-World (colonização de planetas, industrialização pesada, guerras inter-estrelares entre civilizações distantes são características deste gênero, que tem possibilidades quase ilimitadas), Apocalíptica (a humanidade, ou às vezes uma única nação ou um grupo étnico, estão enfrentando um Armageddon), Pós-Apocalíptica (A causa é a guerra nuclear, o colapso ambiental ou epidemias mortais, o efeito é geralmente a anarquia e a sobrevivência do mais apto, e uma regressão ao feudalismo também), Alienígena (a Terra foi ocupada ou infiltrada por outra espécie de algum sistema solar distante), Pseudo-Utopia (os inimigos são tratados sem piedade, quase sadicamente; tecnicamente, a maioria das utopias pertence a essa categoria) e Viagem ao Tempo (como o nome sugere, distopias de viagem no tempo costumam se concentrar mais em como certos eventos podem mudar a história, o objetivo é brincar com o nosso medo do futuro e enfatizar que nós podemos criar o nosso próprio amanhã).


9. Infanto Juvenil

Segmento da literatura dedicado exclusivamente aos adolescentes e às crianças, a literatura infanto-juvenil apresenta obras de cunho fictício juvenil e infantil, folclórico e cultural, poema, novelas, biografias e obras didáticas que, muitas vezes, explicam de forma simplificada assuntos cotidianos como a matemática, ciências, entre outros temas. O conteúdo de uma obra infanto juvenil precisa ser de fácil entendimento pela criança que a lê, seja por si mesma, ou com a ajuda de uma pessoa mais velha. Além disso, precisa ser interessante e, acima de tudo, estimular a criança.


10. Young Adult (ou YA)

Também conhecido como Ya-Lit, o gênero com características intrínsecas apresentam seus personagens principais com mesma faixa etária de seus leitores e abordam temas como depressão, relacionamento familiar, bullying, status social, relacionamentos amorosos, abuso de drogas, ambiente acadêmico, situações no ambiente de trabalho, entre outros. A narrativa sempre com senso de humor, ( irônica ou engraçado), utilização de gírias, citação de personalidades conhecidas ( como cantores, atores, escritores que realmente conhecemos fora dos livros), ambientado em lugares de fácil reconhecimento do leitor. O YA pode fazer-se presente em livros de outros gêneros, que contenham essas características específicas.


11. New Adult (ou NA)

Novo adulto (New Adult - NA) é um gênero de ficção em desenvolvimento com protagonistas entre 18 e 25 anos.A literatura novo adulto fala sobre vários temas que encontram-se entre as categorias jovem adulto e adulto. Assuntos como identidade, sexualidade, depressão, suicídio, vício em drogas ou em álcool, problemas familiares, bullying são abordados profundamente. Outros como o primeiro emprego, o ingresso na faculdade, noivado e casamento, pós-universidade, alistamento militar, início de uma nova família, independência financeira, morar longe de casa pela primeira vez, perda da inocência, medo do futuro, e muitos outros, também podem ser encontrados. Como todas as categorias de ficção, o NA pode ser combinado com outros gêneros e subgêneros como ficção científica, ficção urbana, horror, paranormal, distopia. O NA pode ser bem descrito como uma categoria depois do YA.


12. Erótico

A literatura erótica é o gênero literário que utiliza o erotismo em forma escrita, para despertar ou instruir o leitor sobre as práticas sexuais, pode também ser chamada de literatura pornográfica, se as cenas sexuais são realmente muito explicitas. Em sua maior parte utiliza-se do gênero literário romance de forma mais madura e picante, embora alguns dos grandes clássico eróticos estejam em forma de conto ou poesia.


13. Chick-Lit

Chick-Lit é a literatura  voltada para o sexo feminino, vulgarmente chamada de "Literatura de Mulherzinha". Chick-Lits são romances leves, divertidos e charmosos, que são o retrato da mulher moderna, independente, culta e audaciosa.  É um gênero que  faz parte da literatura voltada para o entretenimento, cujo objetivo principal é  divertir. O charme da chik-lit começa no design da própria capa, a qual atrai irresistivelmente a atenção do leitor que busca um livro nas prateleiras; ela é normalmente impactante, em tons avermelhados intensos ou rosados cintilantes, o que já revela a intenção de quem o escreveu, direcioná-lo ao gênero feminino. O que, porém, não exclui os garotos de sua leitura. Normalmente as protagonistas da Chic-Lit estão situadas na faixa etária que vai dos 15 aos 30 e poucos anos. São representadas nos livros suas dúvidas, inquietações, dilemas afetivos, profissionais e familiares, e até mesmo suas mínimas obsessões, como, por exemplo, o vício de comprar sapatos, enfim, elementos muito presentes no mundo contemporâneo, ao lado de uma face mais sombria, também abordada neste gênero, as discriminações, os distúrbios emocionais, como os problemas depressivos, as dependências químicas e de toda natureza, a dor da perda vivenciada no luto, entre outras temáticas comuns no universo pós-moderno.


14. Sick-lit

O termo deriva de duas palavras em inglês. Sick , que significa doente ou doença e Lit, que se refere a literatura; o que o torna bem auto-explicativo. Isso quer dizer, uma literatura que fala sobre doenças ou pessoas acometidas por ela. Pacientes com severas doenças, seja de origem física ou mental que não iludem seus leitores sobre contos de fada, finais felizes ou misticismo. Aqui os personagens refletem sobre a vida e, sobretudo, o conceito da morte. O drama é sem dúvida uma constante nesses livros, até porque tem o poder de nos fazer pensar sobre muitos conceitos e questões do cotidiano; em contrapartida podem ser impactantes e cruéis.


Antes de terminar o post, galera, eu preciso dizer que tirei todas essas informações da blogosfera, dos blogs De Frente com os Livros, Um Viciado em Livros, Lost in Chick Lit, Livros nas Mãos, Café com Blábláblá, Boteco de Blogueiros, Tudo que Você Precisa Saber, De Tudo um Pouquinho, Razão e Resenhas e O Mundo Literário. Ufa! Enfim, dados os devidos créditos. E então, depois de toda essa explicação, já conseguiram definir qual o gênero literário preferido de vocês? Não esqueçam de me contar nos comentários! Até a próxima postagem!

Beijos 

4 comentários:

  1. Que post SEN-SA-CIO-NAL! Adorei!!! <3 Não sabia da do Sick -Lit! Na verdade eu nem imaginava sobre a existência do gênero ou que esse era o nome! Super criativa sua ideia, me deu até umas ideias... rsrs. Obrigada pelo esclarecimento! Bjokas...
    entreumlivroe-outro.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, Anya, querida. É sempre tão bom te ter por aqui *0* Na verdade, até pesquisar sobre os gêneros, eu consideraria sick-lit como drama hahahaha mas é muito bom saber que te ajudei a esclarecer algumas questões, essa foi realmente a intenção do post :D

      Excluir
  2. Olá Patrini,
    Adorei o post! Bem organizado. Tento ler de vários gêneros, e acho que leio pelo menos um dois de cada um dos citados por ano (menos Terror, mas estou tentando mudar isso), mas meu amor mesmo é a Fantasia e Ficção Científica. Curto também Romance e Distopias bastante.

    Beijos,
    http://misssorrisos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Manu, obrigada pelos elogios! Eu sou o oposto de ti: amo terror e não gosto muito de romance hahahaha mas tenho certeza que, se tu começar a ler terror, vai se apaixonar também, as histórias são muito bem boladas. Curto muito distopias, assim como tu!

      Excluir