[NAS TELAS] Malévola


Hey, pessoas!

Olhando as postagens do blog ontem, me dei conta que há bastante tempo eu não falo sobre filmes com vocês. Como ontem assisti a um e fiquei completamente apaixonada, então resolvi vim falar sobre as minhas impressões aqui no post de hoje. E na sessão Nas Telas de hoje, tem um clássico revigorado: conheçam e apaixonem-se por Malévola, assim como eu!

TÍTULO: Malévola
ANO DE LANÇAMENTO: 2014
PAÍS DE ORIGEM: Estados Unidos
SINOPSE: Baseado no conto da Bela Adormecida, o filme conta a história de Malévola (Angelina Jolie), a protetora do reino dos Moors. Desde pequena, esta garota com chifres e asas mantém a paz entre dois reinos diferentes, até se apaixonar pelo garoto Stefan (Sharlto Copley). Os dois iniciam um romance, mas Stefan tem a ambição de se tornar líder do reino vizinho, e abandona Malévola para conquistar seus planos. A garota torna-se uma mulher vingativa e amarga, que decide amaldiçoar a filha recém-nascida de Stefan, Aurora (Elle Fanning). Aos poucos, no entanto, Malévola começa a desenvolver sentimentos de amizade em relação à jovem e pura Aurora.

Como a sinopse já diz, o longa é uma versão moderna de A Bela Adormecida, com mais foco na fada má que lançou a maldição sobre a princesa. Ou seja: o filme narra a história por trás desse feitiço cruel do qual tantas vezes ouvimos contar. Eu acho a ideia de reformular os contos de fadas maravilhosa, eles parecem ter muito mais sentido depois dessas readaptações, pelo menos para mim, sem falar que acabam ficando muito mais reais. Mas voltando ao filme, a história começa quando Malévola ainda é uma criança. Nessa época ela era boa de coração, e com sua força protegia seu povo da ameaça dos humanos. Até que um dia um invasor adentra a sua floresta, e ela apaixona-se por ele. Stefan (nome do invasor) também passa a gostar de Malévola a princípio, mas como já conhecemos bem o caráter humano, ele deixa suas ambições falarem mais alto.


Depois de muito tempo afastados, o casal se reencontra, mas agora Stefan tem uma missão: matar Malévola para vingar o rei, e então tomar o poder depois que ele partir. Como Stefan não tem coragem para isso, ele retira as asas de Malévola, como prova de sua morte. As leva ao rei e assim consegue ser coroado e ganha a mão da princesa em casamento. A partir desse episódio Malévola passa a ser completamente amargurada, e fica cega por sua vingança. Quando fica sabendo que o rei acabou de ter uma filha, vê aí sua melhor oportunidade para fazê-lo pagar pelo que fez a ela. A fada, então, vai até a festa de batizado da garotinha, onde todo o povo se reunia, e outras fadas estavam presentes para marcar a união dos raças e abençoar a criança. Nessa festa, Malévola lança um terrível e inquebrável feitiço sobre a princesinha, aquele que nos é tão conhecido, sobre espetar o dedo em uma roca e só acordar com um beijo de amor verdadeiro (existe uma ironia aí com relação ao rei Stefan, mas quando assistirem vocês concluirão por si mesmos).

O rei, então, tentando proteger sua filha, manda que todas as rocas do reino sejam recolhidas e queimadas, e logo em seguida trancafiadas no alçapão do castelo para nunca mais serem usadas. Além disso, temendo pela vida de sua princesa, confia a proteção dela as três fadas que lançaram bençãos sobre ela, e essas fadas a levam para a floresta por dezesseis anos, idade em que, supostamente, o feitiço seria validado. Na floresta, Malévola a observa de longe, e pouco a pouco vai se afeiçoando a garotinha. Quando finalmente se conhecem, ela já está arrependida pelo que fez. Junto com seu fiel escudeiro, vai, então, tentar quebrar a prórpia maldição, e acaba descobrindo algo que nem ela mesma acreditava: ela ainda era capaz de amar, e mais, o amor verdadeiro realmente existia.


Se vocês gostam de contos de fadas, tenho uma palavras para dizer a vocês: ESPETÁCULO! O filme é lindo, as cenas são completamente plásticas, o cenário é incrível, e os efeitos são demais. Eu me apaixonei, e agora fico parecendo uma doida indicando o filme para toda pessoa que vejo. Mas tudo tem um motivo: ele é realmente maravilhoso. Como sou uma eterna admiradora dos contos de fadas, vê-los repaginados e mais modernos me dá uma alegria imensa, além do que a história se encaixa perfeitamente, e preenche todas as lacunas da trama original. Angelina como sempre está perfeita, e eu não poderia imaginar ninguém mais nesse papel. O roteiro foi muito bem escrito e dirigido, e quem ganhou com todo esse trabalho fomos nós, espectadores, que podemos sentir realmente como o resultado ficou excepcional. Os atores se entregaram a história, e cada um fez seu papel brilhantemente, de modo que a narrativa ficou condensada e fechada em si. Todas as personagens tiveram sua importância, apesar do foco ser a fada, e eu achei isso sensacional. Eles souberam dosar muito bem a mistura entre o conto original que todos nós conhecemos e amamos e a história nova, que fica nas entrelinhas desse conto. Além disso o filme conta com a participação mais que especial da filha de Angelina, no papel de Aurora criança, estrelando na TV! Tão fofa, gente!

Quanto ao enredo, como eu já disse, achei ele muito bem elaborado, nada foi deixado de lado, os produtores realmente pensaram em todos os detalhes. Além da estética, o que mais me agradou no filme foi a evolução que as personagens tem durante o longa: Malévola, por exemplo, passa de protetora dos Moors a rainha má, e depois de rainha má a uma mulher afeiçoada e arrependida. Isso é muito legal de se notar, porque deixa explícito o quanto as atitudes e escolhas que permeiam a trama fazem diferença no que as personagens se tornarão. Gostei demais dos cenários também: mais uma vez, os produtores se apegaram a cada mínimo detalhe, desde as paredes do castelo, até a floresta com todos os seus seres mágicos. Tudo ficou muito lindo, e é impossível não soltar alguns suspiros conforma o decorrer do filme.


Achei hilário também a mistura que o longa traz entre drama e comédia, com destaque aqui para as fadas atrapalhadas que passam a cuidar de Aurora depois da maldição. As três dão um quê de humor a história, e eu me peguei muitas vezes rindo com elas e delas. Eu acho super interessante essa mistura, porque ela torna o filme mais leve, descontrai a tensão que desde o início sentimos. Sem sombra de dúvidas foi uma bela sacada. A atriz que interpreta Aurora em sua adolescência, Elle Fanning, é considerada uma das mais talentosas de sua geração, mas acho que ela deixou um pouco a desejar durante o filme. Claro que o foco do longa era Malévola, e que as princesas de contos de fadas são meio bobinhas sim, mas no início da sua atuação ela foi bobinha demais: se ludibriava com tudo, acreditava em tudo, e apaixonou pelo príncipe logo que o viu (me julguem, mas eu não acredito em amor à primeira vista). Inclusive acho que o príncipe teve um papel completamente secundário na trama, pois apareceu poucas vezes, apesar de não poder faltar no filme. Mas voltando a Elle, a personagem me surpreendeu apenas no fim do filme, quando ela definitivamente tomou partido e resolveu agir. Aí sim me pareceu talentosa!

O filme como um todo foi incrível. Eu adorei, e realmente é compreensível o sucesso estrondoso que ele alcançou nas bilheterias. O elenco foi muito bem escolhido, e eles exploraram o que puderam do conto, inclusive o que não estava aparente, o que deu uma essência moderna e reveladora ao longa. Eu deixou aqui minha indicação, com a certeza de que vocês, assim como eu, vão amar a história e toda a trama por trás delas. Vão ser transportados ao quarto da infância de vocês, onde sua mãe contava a história da Bela Adormecida, e vão acabar descobrindo que a fada má na verdade não é tão má assim. Só por isso já vale muito a pena! Aí vai o trailer, para animar vocês um pouquinho mais:



Espero que tenham curtido a indicação de hoje, e não esqueçam de comentar sobre o que acharam do filme depois que assistirem. A opinião de vocês é muito importante para mim. Até a próxima postagem!

Beijos 

0 comentários:

Deixe seu comentário