[PALAVRAS SOLTAS #2] Liza and Jhon

E aí eu descobri o segredo, Jhon. Descobri porque eu rio a cada palavra que você escreve, um riso bobo e tímido, bem coisa de idiota apaixonada mesmo, um riso que o meu monitor já cansou de gravar, de fotografar, e que só floresce com as tuas declarações. Igualzinho aquele vermelho na bochecha a cada elogio teu, igual também aquele tremor súbito nas mãos que me faz colocar as letras em desordem e digitar completamente errado, igual ainda a aquela sensação boa, mistura de calor e alívio, quando sobe a tua janelinha e toca a tua/nossa música no celular, e então eu sei que você queria ouvir minha voz tanto quanto eu queria escutar a tua. E eu descobri junto com tudo isso que não foi de uma hora pra outra que eu me entreguei desse jeito. Foi aos pouquinhos, um pouquinho todo dia, e esses pouquinhos começaram a ficar maiores, e mais grandes a cada conversa que eu tinha contigo, e então eu comecei a me apegar demais, e esquecer de menos. E o meu dia começou a não valer mais a pena se não tinha a fala contigo, e as minhas mãos começaram a ficar geladas e a sentir necessidade de estar entre as tuas, assim como a minha mente começou a passar a tua imagem direto na minha cabeça, ajudada pelas fotos tuas que eu salvei (in)voluntariamente no computador. E o meu coração foi se aquecendo e se tornando mole demais quando se tratava de ti, e então eu imaginei a gente em cenas de filmes, cenas de casais bonitos, de casais felizes, e eu comecei a pensar que tudo contigo seria assim: feliz e completo. Feliz nas manhãs de domingo, mesmo que eu precise acordar cedo, feliz nas férias, mesmo que eu tenha que gastar minhas economias pra ir te ver, feliz em agosto, em setembro, de janeiro a janeiro, feliz daqui cinco ou cinquenta anos, feliz enquanto eu tiver você aqui comigo, mesmo que longe. E completo porque os meus dedos se encaixam nos teus, e as tuas músicas se encaixam em nós, completo porque eu sou inteira do teu lado, porque eu posso ser o que eu quiser quando estou contigo, completo porque eu aprendi a me completar contigo, completo porque eu te amo, e não consigo imaginar nada mais inteiro do que um sentimento correspondido. Na verdade, eu não quero mais imaginar nada onde você não esteja. Porque eu não sei mais não te incluir nos meus planos, afinal, hoje em dia, depois de todo esse pouquinho que se tornou muito, você acabou virando o principal e maior motivo de todos esses sonhos quando deito a cabeça no travesseiro. E sinceramente, é um dos motivos mais bonitos que eu poderia querer. Isso se deixar de fora o sorriso lindo, e toda essa vontade de estar junto que você me faz sentir. E se contar isso você se tornou tudo. Um tudo lindo e divertido, maluco e ciumento, e muito, mas muito, meu.

0 comentários:

Deixe seu comentário