[ARRISCANDO A ESCRITA] O Dia, de Bruno Oliveira

Hey, pessoas!

Eu disse que esse mês seria cheio de novidades, não disse? Pois então, elas já começaram! Hoje a coluna Arriscando a Escrita conta com a participação mais que especial do meu namorado (lindo!), abrindo o espaço para vocês, viajantes, mandarem seus textos e terem eles publicados aqui no blog. Gordo escreve muito bem, e depois de algum tempo convenci-o a me deixar postar o último texto dele por aqui. Posso dizer que sou suspeita pra falar, mas o conto é lindo, e o final aberto deixa o leitor ainda mais responsável pelo desfecho da história, envolvendo-o completamente no enredo. E agora só me resta esperar que vocês gostem tanto quanto eu do texto, e que torçam comigo para que ele volte mais vezes com as palavras certas que só ele sabe dizer. Com vocês, Bruno!

"Aquele dia chuvoso e nublado que parecia querer dizer algo, pra ele parecia apenas um dia normal.

Pra ela não passava de mais um dia perfeito ao lado do cara que ela queria pra sempre ao seu lado.

Aquele dia se fez distante em poucas horas, ela se fez distante, ele se fez distante!
Um abraço apertado, um beijo e uma boa sorte foi o que ele disse.

Enquanto ela se afastava com um sorriso estampado no rosto respondendo um obrigado, um até logo e um tchau, sem saber que seria o último.

Ele parecia preocupado, olhava pra trás, pois ela sempre voltava correndo para lhe dizer mais uma última vez eu te amo. Naquele dia foi diferente, o que pra ele parecia um pouco estranho.

Na verdade foi estranho, está sendo estranho!

Aquele foi o último beijo, o último abraço, o último até logo.

Ela costumava chamar ele de capitão, ele até que gostava, se sentia protetor com essas palavras.
Ele sempre dizia que ao lado dela passaria o resto dos seus dias. Ela, sem palavras, lhe abraçava forte, pois se sentia segura nos braços dele.

Truque do destino seria acabar com isso em poucos minutos? Não acredito muito nessas coisas, mas sinto em mim o que passa dentro dele, e vejo a tristeza escorrer pelos olhos azuis dela.

Ele só queria ser alguém melhor, queria fazer o bem. Ela sempre soube disso.
nunca criticou seu trabalho, pois não tinha alguém que o admirasse mais que ela.

Ela tinha um coração gigante, amava os animais e não ficava longe da família.
Hoje ele não consegue acreditar que tudo aquilo não existe mais, preferia estar em um sonho, pois seria mais fácil de acreditar quando acordasse.
Ela não queria, mas no fundo entende, pois nada é pra sempre como costuma ouvir ele dizer.

Agora ele tem a certeza que muita coisa a gente vê e não sabe que talvez nunca mais a veja, que alguns abraços às vezes são apenas uma despedida, mas afirma que nunca é um adeus.

Pra eles o que era um conto de fadas, hoje é apenas uma história mal contada. O fim se faz presente neste momento."

E aí, curtiram? Torço para que sim! E lembrem-se: a partir de hoje vocês também podem ter seus textos publicados aqui no blog! Quer saber como? As regrinhas são super simples:

- Mande um e-mail para o endereço patyvii02@hotmail.com, contendo o texto escolhido e o assunto Coluna Arriscando a Escrita;
- Se seu texto for selecionado, entrarei em contato pelo mesmo e-mail, avisando a data prevista para a postagem;
- O blog se compromete em divulgar qualquer site que o autor (a) do texto possua, e este se compromete em seguir o blog pelo GFC;

Fácil, não? Então é isso! Aguardo os textos de vocês, hein? Quero ver todo mundo participando! Até a próxima postagem!

Beijos 

0 comentários:

Deixe seu comentário