[RESENHA] A Rainha da Primavera - Karen Soarele

Hey, pessoas!

A resenha de hoje é especial, pois o livro foi escrito por uma autora parceira muito querida aqui do blog. Venham conhecer comigo A Rainha da Primavera, de Karen Soarele, título pertencente à série As Crônicas de Miríade!

A Rainha da Primavera

Título: A Rainha da Primavera (spin-off As Crônicas de Miríade)
Autor: Karen Soarele
Editora: Cubo Mágico
Número de Páginas: 100 páginas
Sinopse: Quando os estandartes inimigos se aproximam, apenas a magia do escolhido é poderosa o suficiente para proteger o reino de Hynneldor. Contudo, a princesa herdeira desapareceu há muitos anos, e aqueles que ousaram procurá-la jamais retornaram. Mas a esperança é uma arma poderosa, e a descoberta de uma jovem na misteriosa Ilha de Ashteria pode mudar o destino de todos. 







A Rainha da Primavera chegou às minhas mãos através da parceria com a autora Karen Soarele, e eu estava doida para começar logo a conhecer a série, já que as resenhas que havia lido só falavam bem dos livros. Esse livro é um spin-off da saga As Crônicas de Miríade, e nele a autora nos apresenta uma visão do reino anterior aquela que temos no início da série, creio eu.

Flora é uma garota comum, que viveu toda a sua vida em Ashteria, com a família que ela pensava ser a sua. O povo sollaris era muito calmo e raramente agitava-se por algum motivo, o que acaba deixando Flora decepcionada pela monotonia dos dias que passava na ilha. Um belo dia isso tudo mudou, com a chegada de dois estrangeiros a Ashteria: Dimitri e Nathair. Os dois humanos sabiam exatamente o que queriam quando chegaram à Ilha Oscilante, e não hesitaram nem um minuto em revelar suas intenções: eles pretendiam levar Flora dali. É  partir daí que começa a aventura de nossa guerreira, que descobre suas origens verdadeiras estritamente ligadas à Hynneldor, o reino dos intrusos. Desde a chegada daqueles dois homens, toda a vida de nossa protagonista muda bruscamente, e ela precisará de muita coragem para enfrentar a missão que o destino lhe reservara: a vida de um povo inteiro dependia dela agora, e ela não podia falhar ou hesitar, em nenhum momento!

O que eu posso dizer do livro é que, por seu tamanho reduzido, ele foi tremendamente emocionante. A Karen realmente conseguiu mostrar a que veio, sua escrita flui das páginas como se estivesse viva, e nós nos sentimos definitivamente dentro da história. Tudo acontece muito rápido nessas poucas páginas, e o leitor não é capaz de desgrudar os olhos antes de chegar ao fim. O nosso fôlego fica curto o tempo todo, e quando achamos que vamos respirar novamente a autora nos brinda com mais uma cena tensa e cheia de aventura. Acho que esse foi o aspecto que eu mais curti no livro: por ser curto, os episódios de ação acontecem em um intervalo mínimo de tempo, o que fez a leitura ser ágil e emocionante em todos os momentos. Não existe parada nesse livro: vocês vão prender a respiração, e ela só vai se normalizar quando terminarem de ler a última linha!

Quanto aos personagens, eu achei eles muito bem construídos! Cada um tem uma personalidade única e completamente diferente. Flora é determinada e muito independente, apesar de parecer indefesa em alguns momentos dessa narrativa. Eu gostei dela logo de cara, por conta do jeito espevitado e curioso da menina. No decorrer da trama, temos uma evolução enorme da personagem, ela amadurece muito e se torna mais responsável, por todas as atividades e posições que assume. Dimitri é forte, corajoso e um tanto bruto, pela criação e missões que lhe foram dadas desde novo. Ele é um verdadeiro herói, daquele tipo que sempre aparece nas horas certas, com as atitudes e ideias certas. Nathair foi um cara que me deixou com um pé atrás desde o início da história. Ele é muito gentil, muito servil, e isso sempre acaba me fazendo desconfiar um pouco dos personagens. Ninguém é completamente bom, e essa máxima vale até na ficção. A família de Flora, bem como o povo sollaris, são criaturas dóceis, razoáveis e muito tranquilas, sempre procurando agir pacificamente. Gostei muito de toda a alegria que gira em torno de todos os membros daquela comunidade, dá pra ver que a relação deles é amistosa e que todos se respeitam como são.

Por ser um spin-off, nós não temos uma história muito profunda sobre o passado de cada um dos personagens, e claro que isso me deixou curiosa, mas eu entendi completamente o motivo da autora não ter se detido nisso. Independente desse detalhe, fiquei muito satisfeita com o desenrolar da história: Karen não foi óbvia, e conseguiu me surpreender em vários momentos, o que é sempre considerado positivo para mim. Os elementos e ligações que a autora fez entre os personagens e cenários deram muita coesão à narrativa, e as pontas soltas foram praticamente inexistentes.

A diagramação do livro está excelente! Ainda não havia tido contato com nenhuma publicação da editora, mas fiquei extremamente satisfeita com o que vi. A capa é muito detalhada, rica em cores e elementos que encaixam perfeitamente no enredo. As páginas são amareladas, e a fonte mediana auxilia muito na hora da leitura. Eu também gostei bastante do formato compacto que eles deram ao livro, dá pra carregar sem se cansar, em qualquer espacinho da bolsa, e além disso as dimensões pequenas deram um charme a mais ao volume.

Em suma, eu fiquei muito contente com o meu primeiro contato com a escrita da autora e com a série! Expectativas lá no alto para o próximo livro, espero que ele continue nessa mesma linha de ação imediata e contínua. Para quem gosta de fantasia, A Rainha da Primavera é uma leitura indispensável: além de dinâmico, o livro é ousado e vai te levar a um mundo do qual tu não vai sentir vontade de sair! Eu garanto que não há como acontecerem arrependimentos com o título!

A Karen eu queria agradecer pela oportunidade que ela deu a mim e ao Livrs Viajantes. É muito importante ver autores apostando no trabalho que a gente faz com tanto amor, e é mais gratificante ainda ver o quão talentosos esses escritores são. Você é incrível, Karen, e eu estou ansiosa para voltar a esse universo e conhecer todos os cantos de Hynneldor, e, de quebra, uma pontinha mais de Ashteria se for possível!

E vocês, viajantes, não esqueçam de me contar o que acharam da resenha e do livro nos comentários, hein? Até a próxima postagem!

Beijos 

1 comentários:

  1. Oie, Patrini! Tudo bom??
    Eu adorei a resenha!!! Tanto que já te mandei mais dois livros. Eles chegaram aí?
    Beijos!!

    ResponderExcluir