[DEPOIS DO PLAY #1] Criminal Minds

Hey, pessoas!

O post de hoje é estreia de uma nova coluna. Vocês estão ligados que o blog está com milhares de novidades neste começo de ano, certo? E eu espero sinceramente que vocês curtam, porque é tudo pensado por e para vocês! Mas agora chega de enrolação! Essa coluna será semanal (prometo cumprir dessa vez!) e vai se chamar Depois do Play. Nela eu vou falar um pouquinho sobre aquelas séries que não saem dos favoritos no meu navegador. E como começar com o pé direito é regra, vou falar da minha queridinha nesta semana, o top da lista: com vocês, Criminal Minds!



SINOPSE: Quando não há outras pistas para um caso em série, o FBI logo pede ajuda para a Unidade de Análise Comportamental em Quântico. Enquanto detetives comuns estudam as evidências de um crime, a unidade analisa o comportamento do criminoso para chegar a uma lista de suspeitos. Eles investigam o crime de dentro para fora — sem examinar as evidências no laboratório; ao invés disso, eles estudam o comportamento dos criminosos nas cenas dos crimes ou onde eles vivem ou trabalham, para descobrirem o que eles pensam. Liderando a equipe está o agente especial Jason Gideon (Mandy Patinkin, "Dead Like Me", "Chicago Hope"), o principal analista comportamental do FBI. Os experts do time de Gideon incluem o agente especial Dr. Spencer Reid (Matthew Gray Gubler), um típico gênio com um QI alto, que é atormentado pela ideia de acabar tornando-se esquizofrenico assim como a mãe Diana; o agente especial Aaron Hotchner (Thomas Gibson, "Dharma & Greg"), um homem de família capaz de ganhar a confiança das pessoas e descobrir seus segredos; o agente especial Derek Morgan (Shemar Moore, "Birds of Prey"), um especialista em crimes obsessivos; Elle Greenway (Lola Glaudini, "Família Soprano"), uma agente que é motivada pela agressão não-resolvida que ela sofreu há alguns anos; Jennifer Jareau (A.J. Cook, "Premonição 2"), uma especialista em contatos com a mídia; e Penelope Garcia (Kirsten Vangsness) uma técnica em análise de dados e informática. Cada membro da equipe une suas especialidades únicas enquanto eles apontam as motivações dos predadores e identificam seus gatilhos emocionais na tentativa de impedi-los.

Para aqueles que gostam de uma investigação criminal, a série é uma ótima pedida. Toda a trama gira em torno da UAC (Unidade de Análise Comportamental), uma equipe de elite do FBI, que interpreta os criminosos, e desvenda seus passos, antecipando-se a eles. Produzida pela Mark Gordon Company em associação com a CBS Television Studios e ABC Studios, a série difere-se de outras do mesmo gênero exatamente por se concentrar muito mais no comportamento do criminoso do que no crime em si. Atualmente, a série está em sua décima temporada, e já passou por algumas (várias!) mudanças de elenco e até mesmo de personagens ao longo desse tempo. Independente disso, a série prende o espectador facilmente, é inteligente e completamente viciante, por experiência própria. Fica aqui a minha explícita recomendação da série, com a certeza de que, se você realmente curte esse gênero como eu, não vai se arrepender de conferir!

A fonte da sinopse é a Wikipédia. Então, thank you, Wiki! Ah, e não esqueçam de me contar quais as suas impressões depois de assistirem! Vou me despedir de vocês, mas não sem antes deixar um trailer da série, pra que vocês tirem qualquer dúvida que tenha ficado sobre ver ou não essa coisa linda (ok, sou suspeita para falar, mas logo vocês também serão haha)!



Vocês podem, sim, mandar sugestões de séries para participar da coluna, galera (inclusive, vou adorar conferir aquelas que vocês indicarem!), então comentem à vontade! Até a próxima postagem, gente bonita!

Beijos 

0 comentários:

Deixe seu comentário