[NAS TELAS] Hoje Eu Quero Voltar Sozinho



Hey, pessoas!

Faz algum tempo que eu não falo de filmes por aqui. Mas depois que assisti Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, decidi que não teria como não indicar a história linda que ele nos traz. Vamos conhecer um pouquinho mais do longa?

TÍTULO: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho
ANO DE LANÇAMENTO: 2014
PAÍS DE ORIGEM: Brasil
SINOPSE: Leonardo (Guilherme Lobo), um adolescente cego, tenta lidar com a mãe superprotetora ao mesmo tempo em que busca sua independência. Quando Gabriel (Fabio Audi) chega na cidade, novos sentimentos começam a surgir em Leonardo, fazendo com que ele descubra mais sobre si mesmo e sua sexualidade.

O filme, baseado no curta de mesmo nome, traz a história de Leonardo, um adolescente cego, e todas as dúvidas pelas quais ele passa nessa fase conturbada da vida. Junto da sua melhor amiga, Giovana, ele tenta enfrentar a superproteção dos pais e o bullying que sofre na escola. Os dois são inseparáveis, porém, quando Gabriel se muda para seu colégio e passa a fazer parte do seu círculo de amizade, algo muda entre os dois amigos. Assim como muda dentro de Leo.

Querem saber o que o filme nos revela? Então não deixem de assistir!

É muito difícil pra mim coordenar as ideias na hora de falar desse longa pra vocês, porque ele realmente tem uma carga emocional muito grande, e mexeu comigo de um jeito que quase nenhum filme consegue. Eu posso dizer que comecei a assistir por todas as críticas positivíssimas que li sobre ele na blogosfera. Antes de ver o longa, eu não li a sinopse, não procurei sobre o que era a história e nem nada disso, eu simplesmente sentei e resolvi dar uma chance a ele. E confirmo para vocês que não me arrependo nem por um segundo.



A história do filme é linda e emocionante, a trama aborda assuntos que, infelizmente, ainda são motivo de preconceito na nossa sociedade. Com personagens marcantes e muito bem caracterizados, o enredo nos envolve do início ao fim, nos faz sofrer junto dos protagonistas, e descobrir o quanto é bom ser amado e valorizado do nosso jeito. As cenas são delicadas e de uma sensibilidade muito acima da média. Não há como não se deixar levar pelo cenário, pelos diálogos, pela forma como as personagens se apresentam para nós no decorrer da narrativa.

Para mim, o tema principal do filme é a sexualidade, mas a história nos traz muitos outros assuntos embutidos, que não deixam de ser importantes, como a amizade, o preconceito, a superproteção, o desejo de independência, o amor. O mais importante é que esses temas são colocados de uma forma que se torna impossível para nós, espectadores, separar uns dos outros. Eles se encontram profundamente ligados em toda a trama, do início ao fim, e isso só torna o longa ainda mais comovente, e de extrema importância para colocar em pauta assuntos realmente relevantes na adolescência e em qualquer fase das nossas vidas.

O cenário, como eu já disse, é muito delicado, o diretor usa elementos do nosso cotidiano, e consegue nos fazer enxergá-los de uma maneira na qual nunca pensamos antes, pelo menos essa foi a minha impressão. Leo tem o seu quarto como refúgio, por isso muitas das cenas são desenvolvidas ali, bem como na escola e na cidade inteira. Mas o que mais me impressionou foi o modo como todos esses ambientes encaixaram-se perfeitamente a história e a tudo que ela traz por trás de si.



As personagens são incríveis e completamente realistas. Não existe possibilidade de não se identificar pelo menos em um aspecto com algum deles. Giovana é aquela amiga fiel e talvez até um pouco apaixonada, que está sempre ao lado de Leo e não o deixa por nada. Ela é uma garota doce, delicada e cheia de vida, com umas sacadas bem divertidas em vários episódios. Leo é um garoto que está se descobrindo, como ser humano e como filho: ele precisa desesperadamente ser livre. É inteligente, divertido e não se deixa abalar pelas dificuldades da vida, apesar de algumas vezes se revoltar com os fatos e com a realidade que se apresenta para ele. Gabriel é um típico galã da escola, que chama atenção das meninas. Em seu íntimo, o garoto é carinhoso, paciente e comunicativo, e ganha espaço aos poucos na vida de Leo. Corajoso, ele não tem medo de falar sobre seus sentimentos, mas tem uma certa dificuldade em admiti-los para si mesmo. Os três formam um círculo unido e inquebrável, independente de todas as vezes que a presença de Gabriel abalou a amizade entre Leo e Giovana no início. É muito bonita a relação dos protagonistas, eles tomam as dores uns dos outros e enfrentam qualquer parada juntos. Confesso que essa foi uma das coisas que mais me emocionou no longa.

Quanto à história, ela é comovente e completamente envolvente. Não há um jeito de não se sentir dentro da trama, vivendo o que as personagens vivem, sentindo o que elas sentem, confundindo-se e descobrindo-se com elas. É impressionante o modo como os atores souberam entrar dentro das personalidades que estavam representando, e tornar elas tão reais para nós. O diretor, Daniel Ribeiro, foi fantástico, e soube nos dar exata visão da beleza e importância da narrativa.

Me despeço de vocês com um trailer, para que fiquem com ainda mais vontade de conhecer essa história incrível!




Recomendo o filme para todos aqueles que gostam de histórias intensas e cheias de momentos emocionantes. Garanto que vocês não vão se arrepender, a trama é surpreendente e a cada nova reviravolta muda um pouquinho os seus conceitos sobre todos os assuntos abordados pelo enredo. Não deixem de me contar o que acharam do filme se já viram. Até a próxima postagem!

Beijos 

0 comentários:

Deixe seu comentário